Loloucas


HELOÍSA PÉRISSÉ ENCARA A PASSAGEM DO TEMPO E 
CELEBRA A AMIZADE EM SEU NOVO ESPETÁCULO 

Sob a direção de Otávio Muller, a atriz assina o texto de Loloucas e 
divide o palco com Maria Clara Gueiros
  
As reflexões que costumam acompanhar a entrada na casa dos 50 anos podem gerar mudanças, crises e às vezes grandes transformações. Com a atriz, autora e roteirista Heloísa Périssé o resultado foi a comédia Loloucas (em alusão a seu apelido, Lolô), que também exalta a amizade – com a parceira de longa data Maria Clara Gueiros, com quem divide o palco, e Otávio Muller, diretor da montagem. As atrizes dão vida a duas velhinhas para falar, com humor, sobre a inexorável passagem do tempo e os laços que as unem. 

No espetáculo, as velhinhas, assíduas frequentadoras de teatro, chegam atrasadas a uma peça e, ao tentarem ir embora, se dão conta que estão no palco, onde, a partir daquele ponto de vista inédito, acabam se abrindo sobre suas histórias de vida e virando protagonistas de seu próprio espetáculo. 
Quem costura a trama é o experiente ator e diretor Otávio Muller, que optou por uma cena sóbria, elaborada pelo cenógrafo Dado Marietti, onde o foco é o trabalho das duas atrizes: A coisa que mais me interessa é a comunicação, baseada em um texto vivo. 

Autora do texto e também das letras musicadas por Max Viana, diretor musical e compositor da trilha sonora da peça, Heloísa analisa: A grande conclusão é que a vida começa a acontecer na sua plenitude quando se perde o medo de perder. A partir de uma certa idade, podemos nos sentir mais livres de julgamentos. É um momento maravilhoso, onde, sem medo, se perde o telhado para ganhar as estrelas. E as duas personagens ensinam a envelhecer com muita alegria.